Diário Fotográfico de Mary: Um Caso de Amor com Minha Canon AE-1

Como prometido, aqui está o primeiro artigo de Mary para sua série Diário Fotográfico, onde ela escreve sobre sua afinidade com sua câmera SLR favorita.

Oi, meu nome é Mary Robinson e sou uma fotógrafa de 17 anos, de Atlanta – Georgia. Eu vou para a escola de artes nesse outono e planejo me formar em fotografia.

p<>Minha primeira câmera “séria” foi minha Canon AE-1. Minha amiga Isabel (a menina de cabelo escuro na maioria das minhas fotos) começou a tirar fotos com a câmera analógica do pai dela e eu fiquei com inveja e quis uma câmera analógica pra mim. Minha mãe achou sua velha Canon AE-1 e eu a levei à loja de câmeras local para consertar. Essa loja é um ótimo local para fotógrafos que usam câmeras analógicas (na verdade, lá é uma loja revendedora de Lomo!) e foi lá que mais tarde tive aulas de revelação fotográfica. Meus primeiros rolos de filme com minha Canon foram horríveis! Eu não me dei o tempo de aprender sobre velocidade do obturador e abertura do diafragma, então todas as fotos ficaram super claras e, honestamente, não muito bonitas. Depois de procurar no Google sobre o manual do usuário da Canon AE-1 e ler sobre seus recursos, eu comecei a tirar fotos que gostei. A Canon AE-1 é , honestamente, a melhor câmera analógica já feita e eu sou obcecada por ela – eu não acho que algum dia vou amar tanto uma câmera quanto eu amo esta. O dono da loja, que tem milhares de câmeras, disse a mesma coisa quando eu a levei para consertar. É uma ótima câmera para iniciantes e eu a recomendo para muitas pessoas.

Um exemplo de um daqueles cliques iniciantes quando eu não tinha a mínima ideia do que estava fazendo:

Depois que aprendi sobre minha câmera:

Depois que você entende o básico sobre sua câmera, você pode começar a experimentar com ela. Essas são algumas técnicas que aprendi:

Dupla exposição é bastante fácil em câmeras analógicas. Você só tem que expor a imagem, apertar o obturador e girar o filme de volta.

Outro jeito mais fácil de fazer uma dupla exposição é pôr o filme duas vezes na câmera. Só não gire o filme todo de volta depois da primeira rodada. Tierney Gearon, uma das minhas fotógrafas favoritas, usa essa técnica em sua série “Explosure”.

Se você colocar um dedo sobre a lente, dá para criar um efeito gradiente. Isso ás vezes é um pouco complicado de fazer – você só tem que cobrir um pouco do canto da lente.

Para concluir, não tenha medo de tentar coisas novas! Tente usar todas as possibilidades que sua câmera oferece. Não se limite! Minha Canon AE-1 foi minha primeira câmera e eu ainda tenho que aprender vários truques que ela oferece.

Mary Robinson é uma jovem fotógrafa de Atlanta, Georgia. Acompanhe suas aventuras analógicas em sua série diário visual aqui na seção de Lifestyle analógico!

written by maryrobinson on 2011-06-07 #lifestyle #mary-robinson #mary-s-photo-diary-series
translated by mariafernandes

More Interesting Articles