Não é amor, é uma obsessão

Além de acumular câmeras, eu acumulo fotografias nas quais elas são as protagonistas.

Faz uns seis anos que ganhei minha primeira câmera Fisheye e desde então minhas coleção de câmeras Lomo já conta com onze exemplares.

Ainda que eu não consiga decidir se é uma questão de obsessão ou de amor pela fotografia, estou certa de que se trata de algo quase patológico.

Minha fixação é tamanha que mesmo quando tiro fotos foco nelas, suas formas, suas cores e seus encantos.

Quando viajo as feirinhas são paradas obrigatórias, as barraquinhas de câmeras principalmente. Mas, comprar uma câmera não é nada fácil, por isso fotografo as preciosidades que encontro para ter uma lembrança delas.

Então, se alguém quiser saber se todas essas câmeras são minhas, vocês já sabem a resposta. Mas, eu gostaria que fossem.

Outras maneiras de fazer da câmera protagonista é tirar fotos recíprocas com seus amigos lomográficos ou um auto-retrato diante do espelho, assim a câmera continua no centro das fotos.

Pode ser amor também, não acha?

written by cohetesnaranjas on 2011-03-20 #lifestyle #fotografia #cameras
translated by anarollemberg

More Interesting Articles