Capítulo 21: Queremos mais Lomo LC-A! Negociações difíceis em St. Petersburg

Em outubro de 1995, quando os Lomógrafos então pediram 3.000 câmeras por mês, uma resposta inesperada veio dos russos: “Como estamos entregando as câmeras estes irão custar 50% a mais por câmera”. O quê! Como na Terra, era isso possível? O que parecia tão simples, a partir da perspectiva de livre mercado dos austríacos (finalmente as câmeras estavam vendendo como água), infelizmente foi muito mais complicada em São Petersburgo.

*ILYA Klebanov IOSIFOVICH: Vice Primeiro Ministro DA FEDERAÇÃO DA RÚSSIA (graças à Lomo LC-A) *

Ilya Klebanov começou a trabalhar para LOMO PLC em 1977 como engenheiro de construção civil e tornou-se diretor geral das obras de óptica em 1992. Foi ele quem conduziu a enorme empresa em St Petersburg através dos tempos difíceis da sua privatização e que em grande medida ajudou a promover e melhorar os produtos da empresa, especialmente nas áreas de endoscópios e aparelhos de visão noturna. Após Klebanov recusar-se a encontrar os Lomógrafos não homem de negócios, quando foram pela primeira vez visitar a LOMO PLC, os parceiros, eventualmente, se conheceram em 1995. Talvez a mudança de coração tinha algo a ver com os 5 litros de uísque que os austríacos tinham trazido como presente! Mesmo que as negociações tivessem sido duras sempre envolvidos em suas reuniões, ao Lomógrafos e o durão, mas de grande coração, o Diretor Geral tornou-se um amigo respeitoso. Isso não está ligado ao fato de que Klebanov participou na reunião do lendário Putin, que se diz ser o primeiro encontro real entre o ex-diretor geral e o presidente depois da Federação Russa. Anos mais tarde, Klebanov tornou-se vice-primeiro-ministro da Rússia, graças ao bom relacionamento entre ele e Putin que a Lomo LC-A instigou.

Logo após a visita à Rússia do Lomographische GmbH (sociedade anônima) em Viena, foi oficialmente registrada e a primeira “Embaixada Lomográfica” foi inaugurado em Berlim. O são as Embaixadas Lomográfica? Elas consistem em Embaixadores Lomográficos (LAMB) e sites de rede global que representam a Lomography nos lugares mais importantes do mundo. A idéia nasceu em Viena, onde longas cartas eram regularmente transmitidas para a sede Lomográfica, vindas de Lomógrafos motivados em todo o mundo dizendo: "Nós queremos promover campanhas de lomografia e exposições em nossa cidade e trazer a grandiosa Lomo LC-A a cada homem e mulher! O que podemos fazer? "Um dia, enquanto em uma sauna os Lomógrafos vieram com a idéia de ter um sistema LomoEmbassy. "Assim como com qualquer movimento de uma nação ou arte de importância, nós Lomógrafos vamos estabelecer um sistema de embaixada no mundo inteiro. Estas LomoEmbassies (LomoEmbaixadas) e os seus embaixadores correspondentes vão representar a Lomografia em seus países e fazer o seu melhor para que nosso movimento fotográfico crescer rapidamente e com firmeza! "O Lomógrafos ficaram entusiasmados.

Pouco tempo depois, os primeiros LomoEmbaixadores de Berlim, Stefan e Elisabeth tomaram posse oficialmente. Em 1995, eles tiveram uma cerimônia de posse fantástica em Berlim Oriental no “Hafenbar”. Isso aconteceu porque no dia da abertura da exposição, a embaixadora Elisabeth tinha aparecido no programa matinal na Rádio Fritz para falar sobre lomografia e deixar que seu riso contagiante soltasse sobre as massas. O resultado: metade de Berlim acordou, e de modo algum quis perder a festa brilhante na Hafenbar, eles positivamente arrebataram as câmaras das mãos dos Lomógrafos. Mais Lomo LC-A eram essenciais! Este pedido foi imediatamente enviado por fax para São Petersburgo e LOMO PLC entregou 1.000 câmeras cada mês, de julho a setembro. Mas mesmo esta quantidade de câmeras não foi suficiente para a jovem empresa, que entretanto abriu LomoEmbaixadas em Bregenz, Innsbruck e Munique. No início de cada mês, as jóias russas foram vendidas para fora! Em outubro de 1995, quando os Lomógrafos então pediram 3.000 câmeras por mês, uma resposta inesperada veio dos russos: “Como estamos entregando as câmeras estas irão custar 50% a mais por câmera”.

O quê! Como na Terra, era isso possível? O que parecia tão simples, a partir da perspectiva de livre mercado dos austríacos (finalmente as câmeras estavam vendendo como água), infelizmente foi muito mais complicado em São Petersburgo. Ocupados com sua própria sobrevivência no mercado capitalista moderno, a LOMO PLC havia cessado a produção da câmera e queria se concentrar somente na produção de dispositivos ópticos para fins médicos e militares. Recentemente a LOMO PLC havia esvaziado seu estoque de fotos e entreguei excedentes câmeras Smena para os alunos. É importante notar que a Lomo LC-A, anteriormente entregue à Sociedade Lomográfica, foram todas montadas a partir de peças de reposição. A produção dessas peças foi amplamente interrompida antes do surgimento dos Lomógrafos. Isto foi devido às novas condições de mercado livre que fez a produção completamente inútil. O reinício da produção da LOMO LC-A aumentaria, portanto, apresentando custos muito elevados e as despesas de capital, o que explica o aumento enorme e repentino dos preços por parte da LOMO PLC.

Os Lomógrafos no entanto, não tinham essa informação de fundo, e revoltados com o aumento chocante e improcedente em preços pegaram um avião para São Petersburgo, duras negociações seguiram-se. Os vienenses haviam sido treinados por um consultor de gestão, que achou pouca graça com os russos. Por dias a fio, nenhum dos lados cederiam, as apostas eram altas, como agora eram donos de uma empresa e certos direitos estavam interligados (acima de tudo, a obrigação de pagar os seus empréstimos bancários). O Diretor Geral da LOMO PLC, por sua vez sentia que com o aumento proposto de 50% , estavam fazendo os Lomógrafos um favor. A última peça do estoque foi finalmente vendida, máquinas de produção eram velhas e quebradas e a maioria dos trabalhadores estavam prontos para ser demitidos, ainda mais a produção da LOMO LC-A nas condições naquele momento significava um investimento financeiro enorme. No final, eles decidiram, em um preço ainda maior após os cálculos foram feitos por pessoas de São Petersburgo, que não gostavam de tentar chegar a um acordo sobre um preço. Este preço foi 100% superior ao preço anterior. No entanto, nos meses que se seguiram este preço foi aumentado continuamente em relação à produção em São Petersburgo, que se tornou dia mais difícil e, assim, veio a uma paralisação temporária nas negociações.

“Njet, Njet e novamente Njet” foi ouvida pela gerência sênior na fábrica enorme sobre a produção contínua da pequena câmera. Os Lomógrafos tiveram quatro meses para pensar em tudo o que podiam fazer para chegar até o Diretor Geral Klebanov. Até o final de 1995, a fábrica em São Petersburgo, retomou a entrega da LOMO LC-A. Posteriormente, os Lomógrafos tinham que apresentar um plano de demonstrar como a produção poderia ser ainda financiada no futuro.

Veja toda a glória do livro aqui

written by ungrumpy on 2011-02-08 #library
translated by liviacteixeira

Kickstarter

Bringing an iconic aesthetic to square format instant photography, the Diana Instant Square fills frames with strong, saturated colors and rich, moody vignetting. Built to let your inspiration run wild, our latest innovation features a Multiple Exposure Mode, a Bulb Mode for long exposures, a hot shoe adapter and so much more! It’s even compatible with all of the lenses created for the Diana F+ so that you can shake up your perspective anytime, anywhere. No two shots will ever be the same. Back us on Kickstarter now!

More Interesting Articles