Capítulo 20: Lomografia em Toda Parte

Esmagado por tanta popularidade os Lomógrafos tomaram coragem e marcaram um encontro com Lazar Zalmanov na LOMO PLC. Vestiram seus ternos e entraram no Aeroflot russa de São Petersburgo. Sua missão: manter a produção da Lomo LC-A viva.

21. Os Lomógrafos felizes entregam seu presente, uma garrafa de 5 litros de uísque, ao Diretor Geral Klebanov da LOMO PLC. 22. A tripulação de Viena apresenta Lomografia aos funcionários de São Petersburgo. 23. Editor Manfred Zollner segurando a LOMO LC-A, no prefácio da alemã Fotomagazin", Fevereiro de 1995.

Os Lomógrafos foram trazidos de volta à terra após o seu regresso a Viena. Era dos graduados Alemães dar atenção à Economia, Direito e procurar emprego respeitável, levar e vida a sério. Infelizmente, eles não eram capazes de dedicar sua vida inteira à câmera compacta russa e a organização de eventos loucos. Ou poderiam? De qualquer forma, neste momento, a Sociedade Lomográfica não tinha ambições financeiras que seja, foi financiada por fundos de cultura, próprio bolso dos alunos e por amigos Vienenses que praticavam Lomografia como um hobby.

Mas logo veio uma batida na porta do apartamento estudantil. O editor de fotografia da Baviera Manfred entrou no mundo dos Lomógrafos e virou de cabeça para baixo. Seu artigo de 12 páginas sobre Lomografia na respeitável “Fotomagazin” Alemã impulsionou o perfil de Lomografia em Viena. O telefone vermelho no apartamento tocou sem parar, a máquina de faz recentemente comprada recebia mensagens de quilômetros de comprimento e mensagens de correio chegavam todos os dias com 5-10 cartas e cartões postais. “Queremos uma Lomo!” Ressoou da Alemanha do Norte para o South Burgenland! Esmagado por tanta popularidade os Lomógrafos tomou coragem e marcaram um encontro com Lazar Zalmanov na LOMO PLC. . Vestiram seus ternos e entraram no Aeroflot russa de São Petersburgo. Sua missão: manter a produção da Lomo LC-A viva.

24. O computador pessoal fez o trabalho muito mais fácil para os Lomógrafos.

Para a implementação com sucesso desta missão, eles compraram um vidro de 5 litros de uísque no aeroporto para dar de presente para o Diretor Geral da LOMO PLC, Klebanov. Desta vez, ele cumprimentou os Lomógrafos pessoalmente (finalmente pareciam pessoas respeitáveis como eles se aproximavam) e, imediatamente, elaborou o primeiro contrato adequado entre a Sociedade Lomográfica de Viena e a fábrica LOMO PLC de São Petersburgo. Este declarou que 1000 Lomo LC-A seriam entregue para Viena. Se este corresse bem e os Lomógrafos ainda quisessem mais câmeras, em seguida, o contrato poderia ser estendido.Tudo parecia ir bem. Os Lomógrafos ficaram animados em salvar a Lomo LC-A e o futuro da lomografia como um movimento cultural mundial. Enquanto os Lomógrafos sentavam-se no vôo de regresso a sua casa e cochilavam, exaustos depois de negociações complicadas e Vodka forte, a alta administração da LOMO PLC reuniam-se em Chugunnaya Street. “Oh minha palavra, eu nunca teria imaginado que a LOMO LCA se tornaria tão popular”, sorriu o PR Zalmanov. “Há muitos anos na Rússia ninguém assumiu o controle disto” o Diretor Geral Klebanov tomou o último gole de sua xícara de chá de porcelana e concluiu seu resumo: "Em qualquer caso, alegra-me que fomos capazes de vender aos Lomógrafos o ultimo lote de nossas câmeras onde produzimos os componentes individuais. Nós ainda precisamos colocar as câmeras em conjunto, mas, pelo menos, grandes galpões de produção caras não são mais necessárias. Então o nosso tempo com a Lomo LC-A se acabou. É hora desta câmara ser finalmente retirada da nossa gama de produtos. "

25. Lomógrafos em ação. LomoTravel Vietnã, 1996.

Veja toda a glória do livro aqui

written by ungrumpy on 2011-02-08 #lc-a #library #lomography #historia
translated by liviacteixeira

More Interesting Articles