Capítulo 13: Propaganda e Marketing

Apesar dos recursos limitados quando se trata de propaganda e marketing, a demanda pela LOMO LC-A continuou a desfrutar de um crescimento constante com sempre-felizes “Komsomolets" fazendo um esforço para comprar a “fantástica câmera de plástico” em mercados e lojas de comissão. Graças ao boca a boca, a embalagem aparentemente nada inspirada da LOMO LC-A não afetou negativamente as vendas deste produto que em breve seria um ícone.

Ao contrário de hoje, onde é praticamente a maior parte do orçamento de produção, promoção era inimaginável nos bons e velhos tempos da União Soviética. Publicidade para a LOMO LC-A não existia e, neste momento a LOMO PLC não tinha sequer um departamento de relações públicas e muito menos um departamento de marketing. Qual era o ponto? A sede do partido em Moscou, atribuía ordens e fixava os preços, a fábrica tinha apenas que atender à produção. Foto-interessados “Komsomolets" (União de Jovens Comunistas) foram capazes de encontrar as Lomo LC-A ou em lojas de comissão ou mercados, onde a embalagem inexpressiva da câmera não causou muita sensação. Firmemente colocada em uma caixa de plástico, equipada com um pequeno manual de instruções, embalada em papel de embrulho branco e entrelaçada com um cordão preto a Lomo LC-A quase poderia ter sido confundida com um saco de farinha. No entanto, houve uma grande demanda para a pequena câmera compacta, como na realidade não houve outras unidades comparáveis no mercado soviético. Além disso, a Lomo LC-A era fantástica e a palavra se espalhou rapidamente. A maioria das câmeras de filme na então União Soviética não eram coloridos. O filme que foi amplamente divulgado para os amadores foi o da Alemanha Oriental “Orwo”. O nome era abreviação de “Original Wolfen” e foi produzido em Wolfen na ex-RDA. Na década de 1980 a fábrica perdeu o monopólio na produção de filmes na Alemanha Oriental. Assim, para os filmes coloridos por décadas foram produzidos com técnicas a partir de 1930 e esse formato foi muito difícil desenvolver em laboratórios ocidentais – que especialmente depois da queda do Muro de Berlim em 1989 não se mostrou vantajosa.

Na antiga União Soviética, por outro lado Orwo foi o mais popular (e mais barato) de filmes e teve de ser desenvolvido usando um processo de dois estágios no banheiro em casa, como era a maioria dos outros filmes de 35mm que estavam disponíveis no momento. Ele produzia uma imagem em preto e branco. No entanto, isso não importa como por muito tempo a revelação do filme a cores na União Soviética (e a preparação de cópias em laboratórios) não estava disponível para os amadores de forma geral. Não só os fotógrafos soviéticos da época tinham que ter algum know-how no da revelação de seus filmes, mas eles também não eram capazes de captar a atividade colorida de sua união com todas as suas belas cores!

A Lomo LC-A não era apenas usada por fotógrafos amadores e como hobby. LOMO PLC tinha alguns jornalistas com a pequena câmera com a prática, alguns dos quais eram muito animados com o tamanho acessível e a função de exposição automática do dispositivo (que era o ideal para operações de espionagem extremamente secreta, pela qual os russos sempre tiveram um fraquinho). Então aconteceu que por algum meio ou outro, as fotos da Lomo LC-A foram incluídas no- ITAR TASS (Information Telegraph Agency da Rússia) catálogo da agência nacional de notícias russas e enfeitaram muitos artigos em Pravda, o jornal comunista de informação rigorosamente controlada.

Veja o livro em toda sua glória aqui

written by ungrumpy on 2011-02-03 #history #library #lomography #excerpts #lomo-lc-a-big-book
translated by liviacteixeira

More Interesting Articles