Capítulo 5: O Nascimento da Lomo Kompakt Automat

As úmidas mãos do Diretor General tremeram quando o Vice Ministro deixou o quarto com uma aura da sua posição, “E você, Mikhail, fez um ótimo trabalho. Apesar de tudo, eu devo dizer que o mecanismo de fechamento dessas câmeras não é tão mal, e também o som do click quando eu tiro uma foto soa notavelmente melódico nas minhas orelhas sensíveis. Continue o bom trabalho e assim a honra da nossa fábrica com as três ordens de Lenin será assegurada”. O primeiro protótipo da Lomo Kompakt Automat, resumiu-se a LOMO LC-A, e foi oficialmente aceito e a produção em massa pode finalmente começar.

Mikhail Grigorievich Kholomyansky
Nascido em 1941, Kholomyansky entrou na LOMO PLC aos 18 anos como trainee. Depois de estudar no Instituto , ele imediatamente entrou no foto-departamento na LOMO PLC em 1964, onde ele trabalhou até 1991. Quando a ordem do vice-ministro da Defesa soviético I.P. Komitsky chegou para concretizar uma cópia exata da Japonesa Cosina CX-2,foi o engenheiro de 40anos Kholomyansky quem assumiu a tarefa e construiu uma LOMO LC-A com o seu time em apenas um ano e meio. Kholomyansky é hoje director de uma companhia de instrumentos medicos hi-tech. E está casado com a sua esposa desde 1964, com dois filhos e três netos e vive na sua “Dacha”, na periferia de St. Petersburg.

Primavera de 1982, St Petersburg, 11pm. “Eu só queria que isso não me custasse o pescoço e que eu não terminasse exilado em um campo de trabalho na Tundra Siberiana”. Este foi o pensamento que entrou na mente do Engenheiro Chefe, Mikhail Grigorievich Kholomyansky, quem trabalhou arduamente no seu banco de trabalho de madeira com os acabamentos da sua nova criação? Uma câmera totalmente automática.

Sob supervisão estrita da robusta Olga Nikolaevna Tsvetkova, a gerente de produção, ele gastou quase um ano e meio com a sua equipe trabalhando nos espaçosos corredores da LOMO PC, trabalhando quase dia e noite a fim de satisfazer as altas demandas na União Soviética, e em particular as do Vice Ministro da Defesa, Igor Petrovich Kornitsky. Este último, confiou a uma câmera estrangeira embaixo do seu nariz e bradou: “Eu quero uma câmera exatamente como esta, simples, fácil, funcional e totalmente automática. Os japoneses sabem muito bem o que estão fazendo mas o nosso objetivo é produzir uma câmera Russa que seja ainda melhor e mais barata para todo o mundo comunista!”

Como um eco, as palavras do ministro, reverberavam nos ouvidos do engenheiro, enquanto o rígido e esperado contemplar de Michail Panfilovich Panfilov, Diretor General da fábrica LOMO PLC, uma das melhores fontes ópticas da então União Soviética e manufatureira dos equipamentos ópticos para a ciência, espaço e militar, eram as coisas que lhe importavam. “Eu devo entregar uma cópia perfeita da Cosina CX-2. Mas não posso colocar esse mecanismo de fechamento 50 facilmente; a nossa tecnologia Soviética não é boa o suficiente. Eu só espero que o Vice Ministro da Defesa não fique com muita raiva de mim por isso”.

Um ano e meio antes, o Vice Ministro da Defesa, Komitsky iluminado pelo trem expresso “Cologne Hauptbahnhof-Moscow Byelorussia Waksal” com o seu chapéu de grossos pêlos, acolchoado sobretudo e grandes visões e inspirou um profundo ar do inverno gelado da terra Rússia. Logo depois, ele despachou os seus pedidos nos famosos institutos ópticos, o State Optical Institute GOI e o LITMO Institute of Precision Mechanics and Optics em St Petersburg, que naquela época ainda produzia o nome Leningrad:

“Faça os cálculos ópticos para lentes excelentes e diga-me imediatamente onde eu posso encontrar as melhores fábricas para a construção de uma câmera moderna, como aquelas que eu vi com os meus próprios olhos na Photokina Cologne.” Foi como ele comandou diretamente. Os experts, barbudos especialistas para cálculos ópticos de precisão, não deram mole e imediatamente recomendaram duas fábricas: “Comrade Kornitsky, onde existem apenas dois criadores para tal encomenda complexa que devem ser considerados: nossos amigos de St Petersburg da LOMO PC, de profissionais estabelecidos no mercado de produção de câmeras em massa desde 1930, e a fábrica arsenal de Kiev – eles já fizeram cópias por encomenda da legendária Contax II e III que provam excelente qualidade ".

Então aconteceu, que simultaneamente a LOMO PLC, mais precisamente o time de Mikhail Kholomyansky e Olga Tsvetkova, trabalharam em cima de uma cópia de Cosina CX-2 e o Arsenal Kiev em uma Minox 35EL. Esta era bem parecida com a câmera compacta 35mm, mas só foi produzida na Alemanha. LOMO LPC teve uma pequena vantagem no começo com o astuto diretor Panfilov, que sabia precisamente que a Cosina CX-2 havia fascinado Kornitsky na Photokina em Cologne.”Uma cópia exata disto”, disse o Diretor General Panfilov da LOMO LPC, “nós vamos fazer a vontade do nosso honrado Vice Ministro da Defesa de dançar com alegria e a fábrica LOMO PLC vai se esbanjar em fama e glória.”

“O que isso deveria ser, afinal, o negócio parece completamente diferente da Cosina japonesa!” o seu ultraje espalhou-se por todo os corredores, e então as portas de marrom dourado do seu escritório começaram a sacudir. “Se você vai copiar uma câmera então por favor faça isso certo e não faça este Tosco case quadrado. Ver isso na minha frente me faz sentir náuseas!”

Mikhail Grigorievich jogou-se sobre a sua cadeira com olhos vermelhos e turvos e escutou os louváveis comentários do ministro. “Se ele soubesse que eu intencionalmente ordenei o design para ser diferente da Cosina a fim de evitar qualquer argumento com os japoneses…será que o honrado ministro nunca ouviu falar de direitos de patente?” pensou o exausto engenheiro. “Bem, ok então”, Kornitsky concordou e encaminhou ao tenso gerente de fábrica Panfilov as palavras receptivas “essa caixa quadrada pode ser modificada, não pode? Então, me faça um novo pacote o mais rápido possível. Se você alterar a avantajada parte superior, você tem a encomenda.”

As úmidas mãos do Diretor General tremeram quando o Vice Ministro deixou o quarto com uma aura da sua posição, “E você, Mikhail, fez um ótimo trabalho. Apesar de tudo, eu devo dizer que o mecanismo de fechamento dessas câmeras não é tão mal, e também o som do click quando eu tiro uma foto soa notavelmente melódico nas minhas orelhas sensíveis. Continue o bom trabalho e assim a honra da nossa fábrica com as três ordens de Lenin será assegurada”. O primeiro protótipo da Lomo Kompakt Automat, resumiu-se a LOMO LC-A, e foi oficialmente aceito e a produção em massa pode finalmente começar.

O Vice ministro da defesa estava de bom humor quando sentou no seu trem no caminho de volta: para Moscow. Ele sonhou com uma total câmera automatic para todo bom cidadão soviético e pensou minuciosamente que a LOMO LC-A é também duas e a metade do preço mais barata de produzir do que qualquer câmera de maior qualidade Kiev 35ª (a cópia da Minox 35EL), a qual foi apresentada pela fábrica Arsenal.

Tenha toda a glória do livro

written by cruzron on 2011-01-19 #library #lca #historia #lomobooks #nascimento
translated by liviacteixeira

More Interesting Articles