Zenit ET, uma jóia soviética

A Zenit ET é uma excelente câmera SLR produzida na URSS. Um pouco pesada, possui originalmente uma lente Helios 50mm, bastante clara, de qualidade óptica invejável! Faz o seu trabalho com dignidade, uma verdadeira jóia soviética!

Adquiri uma Zenit ET em um antiquário, por um preço bastante razoável. Já tinha ouvido falar na qualidade excepcional das lentes Helios, e o que mais me atraiu nela foi, além do preço, seu visual prosaico e a sensação de robustez que ela passa. Comprei, carreguei com filme e saí disparando. Apesar da idade, ela estava em perfeito funcionamento! Escreverei de cabeça as informações, porque li em muitos sites e, sinceramente, não lembro mais as referências. Nada que uma breve pesquisa no google não resolva.

Esta câmera foi produzida na URRS entre 1981 e 1993, sendo uma modificação da família da Zenit E. O meu exemplar tem a marca em caracteres cirílicos, indicando que não era um modelo para exportação. É uma câmera SLR (Singler Lens Reflex), ou seja, o visor está acoplado a um prisma que permite você ver através das lentes.

Seus controles são totalmente manuais. Sua lente tem abertura mínima f2 e máxima f8 – é uma lente clara. As velocidades de disparo vão de 1/30 até 1/500, apresentando modo B (bulb, exposição manual). O contador de frames é acoplado acima da alavanca de avanço do filme. Mas o mais interessante é o seu fotômetro.

Na parte frontal há, acima das lentes, uma célula fotoelétrica de selênio. A medição da luz ambiente é mostrada em uma agulha, no pequeno visor na parte superior da câmera ao lado do botão de rebobinar. Dentro deste visor há também um anel. O sistema de medição é formado por um anel interno de iso, no qual você seleciona a velocidade do filme que está usando (iso 25-400, neste caso), um anel externo que, se movido, move o pequeno anel do visor de medição de luz. Então basta selecionar o iso correto e movimentar o anel externo até que agulha e anel coincidam no pequeno visor. Este procedimento lhe dará uma escala de exposições: para f5,6 disparo a 1/60; para f8 disparo 1/30, e assim vai.

No começo é um pouco difícil, mas logo se aprende a buscar a exposição correta. Mas um alerta: o fotômetro faz uma média da luz de todo o ambiente, o que no P&B resultará em tons médios de cinza, por exemplo. Então mesmo com a indicação do fotômetro deverão ser feitos ajustes na exposição de acordo com o objeto a ser fotografado para adequar áreas de luz e sombra.

Além disso, a câmera é um pouco pesada, pois seu corpo é de metal. Se por um lado isso providencia robustez, por outro pode ser incômodo mantê-la no pescoço por muitas horas. Nada que não se possa acostumar.

Os mecanismos do corpo são confiáveis. Pena que o avanço do filme é acoplado ao disparador, não permitindo múltiplas exposições instantâneas. Para conseguí-las, é preciso utilizar todo o filme e depois recarregá-lo na câmera (se fizer isso, marque com alguma coisa o buraco que você encaixou o filme a primeira vez para que o coloque na mesma posição na segunda vez, fazendo coincidir os frames – é bem difícil!)

Os resultados são ótimos! É uma grande câmera, uma boa alternativa a outras SLRs mais caras como as Pentax, Nikon e Cannon. Seu design soviétivo, prosaico, é bastante charmoso. Procure aqui na comunidade por fotos tiradas com a Zenit ET, você vai se surpreender!

written by gregoriobruning on 2012-01-18 #gear #review #reviw-camera-zenit-et-russa-sovietica-slr-50mm-35mm

More Interesting Articles