Projeto Janelas lomo-grafo-sonoras

O projeto JANELAS busca documentar em três vídeos, o cotidiano e a paisagem gráfica/sonora de três cidades do interior do ES. Faz uso da linguagem lomográfica ao evocar um aspecto de despretensão em relação ao momento da fotografia, à qualidade e pureza da imagem. Nesse caso as falhas e ruídos são uma escolha estética. Os documentários, assim como uma ficção, são uma representação parcial e subjetiva da realidade. Nesse projeto será explorado um híbrido entre vídeo-arte e vídeo documentário, em que o montante torna-se a estética do cotidiano.

O Projeto Janelas é uma iniciativa de alguns designers empolgados que gostam de lomografia e vídeo. Através dele essas pessoas buscam capturar a essência e a vivência de cidadezinhas no interior do Espírito Santo. A idéia é bem simples: algumas câmeras analógicas, algumas digitais, uma galera empolgada, muitos filmes e uma road trip! Através da captura das imagens, documentando aquela vivência naquele lugar diferente, mas pessoas que moram ali, o movimento (ou a falta de) nas ruas, os barulhinhos do burburinho local e algumas sequências registradas com as câmeras digitais são feitos os vídeos que abrangem as fotos analógicas, digitais, e a trilha sonora composta a partir do ruído capturado nas cidades.

O primeiro vídeo

O primeiro ensaio fotográfico foi realizado em Timbuí, vilarejo localizado a 49 km de Vitória, à beira da BR101. Pertence ao município de Fundão-ES e tem uma população de 2.400 habitantes. Saímos de Vitória no dia 22 de julho, uma sexta-feira, às 10:30 da matina. Cinquenta minutos depois, chegamos a Timbuí em sete pessoas em dois carros.

Como planejamos ficar o dia todo na cidade e realizar TODO o registro naquele dia, precisamos planejar o tempo e a dinâmica da equipe. Estávamos munidos de 4 câmeras digitais, 5 câmeras lomográficas (2 Holgas, 1 Action Sampler, 1 Super Sampler e 1 Oktomat), 15 filmes e 2 gravadores de som. Desse modo, nos dividimos em dois grupos, para num primeiro momento realizarmos uma deriva pela cidade, a fim de reconhecer o espaço e gerar os primeiros registros. Um grupo pegou a Avenida principal de Timbuí à direita e o outro à esquerda. Aproximadamente uma hora e meia depois, já havíamos percorrido toda a cidade e guardado algumas impressões. Partimos então para o almoço em Fundão, pois nessa volta constatamos que não havia restaurante no vilarejo. Após o almoço, ainda em Fundão nos reunimos para decidir sobre o roteiro e a trajetória da equipe.

Todo a equipe com alguma câmera na mão seguiu junto pelos logradouros de Timbuí. O trajeto foi da placa de entrada da cidade na BR, passando pelas principais ruas, pela igreja azul do alto, pelas praças – todas, pelos becos, pelas casas das pessoas, pelos vendedores de chup-chup e de tupperware, por 275 cachorros na rua, muitos carros abandonados, oficinas, ferro-velho, queimada, pelada na rua, algumas janelas, alguns varais, muitos curiosos, um beco ladeira a baixo e fim, chegamos novamente ao asfalto.

Para ver o resultado disso tudo, é só dar um pulinho no nosso site

Por trás das janelas

Um projeto itinerante de animação e fotografia como o Janelas não seria o mesmo sem uma galera com disposição. Constituída majoritariamente por estudantes de design gráfico, a equipe é formada por Camila Torres, Mariana Schmidt, Rayza Mucunã e Thiago Sales sob a coordenação das JUUZ – Juliana Colli e Juliana Lisboa, e do designer-músico Paulo Prot.

JUUZJuliana Colli e Juliana Lisboa

Paulo Prot

Camila Torres

Mariana Schmidt

Rayza Mucunã

Thiago Sales

written by rayzamucuna on 2011-11-07 #lifestyle #design #video #stop-motion #action-sampler #holga #lomografia #projeto-janelas

More Interesting Articles