Pompidou: Arte Moderna em Paris

O “Centre Pompidou” localizado no coração de Paris, permite aos seus visitantes uma imersão no mundo da arte moderna. A mistura entre a experiência interior dada pelo excelente trabalho artistico exibido e o belo exterior composto pelo edifício do Pompidou e arredores torna esta a localização perfeita para ser descoberta.

O “Centre Georges Pompidou” (Centro Pompidou em Português) é definitivamente um dos museus a visitar em Paris. O seu nome deriva do presidente francês Georges Pompidou (1969-1974), que foi quem decidiu a sua construção. O edifício é bastante moderno e extremamente colorido e de facto, o seu estilo único, é amado ou odiado pelos parisienses.

Localizado no Marais (4ème arrondissement), é possível chegar aqui de transportes públicos ou encontrar o caminho de metro em direcção a Rambuteau ou Hôtel de Ville ou Châtelet ou pelo RER para Châtelet – Les Halles.

O museu exibe uma exposição permanente (que muda aproximadamente a cada ano) e diversas exposições temporárias (durante todo o ano) focadas num artista ou um tema específico. Nos últimos três anos, o Pompidou concedeu aos seus visitantes a oportunidade de entrar no mundo de artistas incríveis como Calder, Kandinsky, Lucian Freud, Soulages, e Mondrian (… eu fui, vi estas exposições, e até tenho uma caneca para provar).

Para ter acesso às exposições, os visitantes tem que viajar através do que parece ser um túnel de vidro, e daqui podem deliciar-se com uma vista de Paris espectacular.

A minha última visita ao Pompidou foi para ver a exposição PARIS-DELHI-Bombaim, e esta levou-me numa viagem pela Índia.

Fora do Pompidou há também uma zona espetacular a desfrutar e explorar. Mesmo em frente do museu, na Praça Georges Pompidou, é possível entretermos-nos com artistas de rua. Em torno deles facilmente se forma um campo de asteróides de visitantes curiosos.

Perto do Pompidou, na Praça Stravinsky, encontra-se a “Fontaine des automates”, que apresenta dezesseis esculturas que se movem e pulverizam água e foram concebidas por Jean Tinguely e Niki de Saint-Phalle, que se basearam nos temas e obras do compositor Igor Stravinsky.

Esta praça é também o local perfeito para uma pausa, sendo possível sentarmos-nos no exterior perto da fonte ou num dos vários cafés ou restaurantes ao redor. Aqui, olhando ligeiramente para cima, vemos uma pintura surpreendente num dos prédios.

Shhhh … não contem a ninguém … Eu tenho uma flecha no meu olho.

A área do Pompidou exibida no presente artigo foi capturada com a La Sardina, a DianaF+ e a Sprocket Rocket.

A Diana F + é uma nova versão da câmara de culto dos clássicos anos 60 . Famosa pelas suas imagens de sonho e com um foco suave, a Diana F + tem agora características adicionais, tais como as capacidades panorama ou pinhole. Disponível na nossa Loja Online.

Preparem-se para navegar em alto mar com a nossa nova La Sardina coleção! Estas câmeras de 35mm estão equipadas com uma lente grande-angular espectacular, com a capacidade de múltipla exposição – tudo que se possa precisar para aventuras repletas de diversão e emoção. Para obter a tua própria câmera La Sardina!

A Rocket Sprocket é a primeira câmera grande-angular dedicada inteiramente ao sprockets. O duplo set de botões para avançar ou rebobinar o filme facilita tirar várias exposições, não havendo limite para a criatividade analógica com esta maravilha panorâmica. Veja a Sprocket Rocket na nossa loja.

written by redtulip on 2011-10-17 #places #location #paris #museu #pompidou #marais #redtulip #arte-moderna #arte-e-cultura
translated by redtulip

More Interesting Articles